Como escolher o Seguro de Viagem mais adequado às suas necessidades

Afinal de contas, vale a pena contratar um seguro?

Seguro de viagem é uma daquelas coisas que você sempre deveria adquirir esperando nunca precisar usar. Por essa mesma razão, pelo fato de sermos tão intrinsecamente otimistas, muitas vezes acabamos pensando se realmente vale a pena gastar esse dinheirinho extra no seguro. Não importa o quão apertado esteja o seu orçamento, e principalmente no caso de você estar viajando sem muita folga na sua verba de viagem,a última coisa que você deveria pensar em cortar da sua lista de prioridades é um bom seguro.

É claro que no final das contas essa é uma decisão pessoal. Muitas pessoas viajam todo os dias mundo a fora sem se preocupar em contratar um seguro e nem por isso enfrentam maiores problemas. Agora, no caso de que você esteja pensando em fazer o mesmo, deixe-me lembrá-lo de uma horrível verdade: imprevistos acontecem; acontecem com estranhos, podem acontecem com a pessoa sentada ao seu lado, e também podem acontecer com você.

O que acontece se o seu ônibus quebrar e você acabar perdendo o seu voo por causa disso? E se você sofrer uma infecção respiratória e necessitar auxílio médico de emergência? E se você tiver uma crise de apendicite, quebrar uma perna ou precisar de atendimento dentário no meio da sua viagem? Apesar de procurar enxergar as coisas sob uma ótica otimista (por mais que possa não parecer a julgar por essas suposições), eu já escutei tantas histórias e já presenciei tantas situações ao longo das minhas próprias viagens que hoje em dia não posso sequer imaginar sair de casa antes de contratar um seguro de viagem.

Que tipo de seguro de viagem você precisa?

É verdade que escolher um seguro de viagem pode ser uma tarefa confusa, dadas as tantas opções disponíveis. Como um mínimo, no entanto, as melhores apólices deveriam incluir: 1) Seguro de Saúde para Viagem - cobrindo acidentes e emergências médicas durante a viagem, geralmente excluindo o seu país de residência e incluindo evacuação médica caso você precise ser levado a outra cidade ou de volta pra casa para tratamento; e 2) Seguro de Viagem propriamente dito - cobrindo o cancelamento da viagem no caso de circunstâncias além do seu controle, perda de bagagem e talvez até mesmo roubo ou danos causados a sua propriedade, no caso de você estar levando equipamento de alto valor.

O que você deveria considerar em um seguro de viagem?

A resposta a esta pergunta depende de uma série de fatores. Por exemplo, verifique se você já está coberto no exterior, e até que limite, através do seu plano de saúde atual. Alguns cartões de crédito podem oferecer seguro de viagem desde que você pague pelas reservas de passagens aéreas, hotéis e automóveis com o próprio cartão. Qualquer que seja o caso, assegure-se de entender as condições dessas coberturas com antecipação para não ser pego desprevenido.

No caso de essas condições não atenderem plenamente as suas necessidades, você precisará adquirir um seguro de viagem. As minhas dicas aqui são verificar se os seus destinos estarão cobertos e prestar atenção aos limites de cobertura da sua apólice. Não economize na sua saúde! A pior coisa que pode acontecer é você contratar um seguro com uma baixa cobertura, digamos uns 25 mil dólares, e que esse limite seja atingido antes de o seu tratamento de emergência ser concluído. Você também deve garantir que a sua apólice cubra todas as suas necessidades, principalmente no caso de você estar planejando se envolver em atividades de alto risco, como esqui, canoagem, paraquedismo e assim por diante, ou se você estiver viajando com uma câmera bacana, que deveria estar protegida.

O meu provedor favorito de seguros de viagem é a World Nomads. Eles são especializados em seguros de viagem de curta duração e, no Brasil, são representados pela Zurich Seguros. A World Nomads oferece limites de cobertura altos, ampla assistência no caso de emergências e cobertura completa para turismo-aventura, dependendo do plano selecionado, sendo reconhecida por publicações como National Geographic a Lonely Planet como uma referência no setor.

Dicas sobre como proceder no caso de sinistros

Nós nunca sabemos se e quando precisaremos fazer uma solicitação de cobertura à asseguradora. De qualquer modo, para evitar mal-entendidos e aumentar as suas chances de sucesso, é melhor se precaver e seguir algumas dicas:

  • Conheça a sua apólice. Entenda as suas coberturas. Leia as letras pequenas do contrato!
  • Aproveite o fato de estarmos nessa era das selfies para deixar a sua viagem bem documentada - isso pode acabar ajudando o seu processo no caso de alguma eventualidade. Tire fotos de você mesmo, da sua bagagem e do equipamento que você está levando, idealmente de modo que a data da foto possa ser comprovada.
  • Mantenha cópias das suas reservas e notas fiscais tanto de despesas relacionadas à sua viagem quanto aos gastos de saúde. Manter uma cópia das notas do seu equipamento mais caro ajuda bastante.
  • Armazene essas fotos e cópias digitais em algum lugar acessível na rede.
  • No caso de qualquer emergência médica, sempre peça ao médico para documentar por escrito o seu estado, idealmente fornecendo uma justificativa para qualquer gasto relacionado que tenha que ser anexado à solicitação de reembolso.
  • Em caso de furto ou roubo, reporte o ocorrido às autoridades policiais com a maior brevidade possível. Anexe o boletim de ocorrência à sua solicitação.

Seguindo esses conselhos você garante a tranquilidade de saber que estará protegido fora de casa. Além disso, caso algum imprevisto ocorra, você poderá buscar auxílio sem correr o risco de terminar com uma dívida muitas vezes maior do que o valor da sua viagem em si.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *