Oaxaca - Header

Oaxaca, México

Cidade Gastronômica

 

A cidade de Oaxaca de Juárez, ou simplesmente Oaxaca, é a capital do estado homônimo e foi declarada Patrimônio Cultural da Humanidade pela UNESCO. É popular bela beleza de seu centro histórico, pela vizinhança de importantes sítios arqueológicos e pela sua deliciosa gastronomia e riqueza cultural. A altitude de mais de 1.500m sobre o nível do mar contribui para um clima agradável em boa parte do ano e sua localização, a 465km da Cidade do México, permite que seja facilmente alcançada por via rodoviária ou em um voo de cerca de 1 hora da capital nacional.

O Zócalo é a praça central da cidade e existe desde que a mesma foi originalmente desenhada em 1529, constituindo o centro nevrálgico de Oaxaca, além de ser rodeada por edifícios de uma bela arquitetura colonial. Ali se encontram a Catedral, consagrada à Nossa Senhora da Assunção em 1733, o Palácio do Governo, construído no século XIX e que conta com exposições científicas bastante interessantes, e diversos restaurantes onde podem-se apreciar algumas das bebidas típicas da região, como o chocolate e o mezcal, embaladas pela música mexicana, normalmente interpretada por mariachis.

Em geral, a região ao norte do Zócalo tem um apelo turístico maior que a área ao sul: as casas estão melhor conservadas e as ruas são mais limpas e menos congestionadas ao norte do Zócalo. Além disso, a grande maioria dos museus, igrejas e demais locais de interesse estão em um raio de algumas quadras ao norte da praça central da cidade.

O principal destaque entre os atrativos oaxaquenhos é o complexo formado pelo Templo de Santo Domingo de Guzmán e o anexo ex-convento de Santo Domingo. Inaugurado no início do século XVII, o conjunto arquitetônico da ordem dominicana é uma excelente mostra do barroco mexicano. O interior do templo apresenta uma decoração suntuosa, que inclui o uso de milhares de folhas de ouro para revestir detalhes esculturais das paredes e do teto. O prédio do ex-convento abriga atualmente o Museu das Culturas de Oaxaca, o museu mais importante do estado de Oaxaca que, em 14 salas, conta a história da região desde o princípio da presença humana ali, há mais de 10 milênios. Este museu abriga os tesouros da tumba #7 de Monte Albán, formada por peças de ouro, prata, jade, turquesa e obsidiana.

Poucas quadras ao norte do complexo de Santo Domingo estão os arcos de Xochimilco. Esses arcos formavam parte do antigo aqueduto, construído durante a primeira metade do século XVIII e hoje formam uma bela paisagem ao longo de cerca de 300 metros das ruas Manuel Garcia Vigil (um bonito passeio a partir do Zócalo) e Rufino Tamayo.

A região do centro histórico ao sul do Zócalo é principalmente comercial e, geralmente, de menor interesse. Uma importante ressalva, contudo, deve ser feita para os dois mercados localizados a até duas quadras da praça central. Maior e mais tradicional entre eles, o Mercado Benito Juárez ocupa um quarteirão inteiro e é bem organizado com setores dedicados ao comércio de artesanatos, produtos de couro e de metal e alimentos tradicionais, como os queijos de Oaxaca, o mezcal, chocolates e iguarias como os chapulines (grilos secos) e gusanitos de maguey (os vermes que tradicionalmente são acrescentados às garrafas de mezcal). O mercado vizinho, 20 de Noviembre, é o melhor lugar para conhecer a culinária típica de Oaxaca a preços bastante acessíveis. Os diversos stands desse mercado oferecem pratos como tasajos, tlayudas, empanadas, chiles rellenos, tamales e os sete moles da região.

A apenas 9km do centro da cidade encontra-se Monte Albán, um dos principais sítios arqueológicos das Américas. A antiga capital dos zapotecas foi fundada por volta do ano 500ac em um morro cerca de 400m acima do principal vale da região, a uma altitude de 1.940m. Entre os anos 100ac e 200dc, Monte Albán havia crescido ao ponto de ter se transformado em uma das principais cidades da Mesoamérica de então, com uma população estimada em cerca de 18.000 habitantes. O conjunto principal de ruínas aberto a visitação é composto por uma grande praça retangular rodeada de templos, palácios, jogo de bola e tumbas. Entre seus edifícios se destaca o dos “Dançantes”, onde encontram-se estelas de figuras humanas em posições incomuns. A tumba considerada mais importante é a de número 7 devido a grande quantidade de oferendas encontradas e que estão em exibição no Museu das Culturas de Oaxaca. O sítio arqueológico é muito bem mantido e conta com um Museu onde uma limitada coleção de esculturas é exibida, além de disponibilizar um serviço de guias locais para acompanhar os visitantes.

[huge_it_gallery id=”8″]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *